Será que sou feliz?!

Por APEXA em

Mahatma Gandhi partilhou sabiamente que  “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”. Sendo que o caminho é diferenciado e particular não existem receitas mágicas ou trajetórias únicas para encontrar o bem-estar pessoal, visto que este bem-estar é realizado por uma avaliação subjetiva de cada um, tendo em conta o conhecimento que cada pessoa tem sobre si, o seu contexto e o significado que atribui às suas experiências.

Se a felicidade é um processo e não um resultado, ele só faz sentido se a analise deste processo for continuo e refletido.

A felicidade não é a ausência de tristeza. A felicidade não é a inexistência de adversidade, nem  tão pouco é um desfecho. A felicidade é sinónimo de bem- estar e está fortemente relacionada com a qualidade de vida, com o significado que se atribui à própria história e a forma como nos reinventamos perante o conflito e a crise.

Deste modo, proponho-te que tires momentos na tua rotina para analisares o teu bem-estar.
Para iniciares este processo, incentivo-te a fazeres o download da checklist de bem-estar e faças uma autoavaliação de forma honesta e sincera contigo mesmo. No final, podes observar quais são áreas da tua vida em que não te sentes satisfeito.

A autoavaliação é importante para tomares consciência da tua realidade. Após tomares consciência da realidade, é imprescindível iniciares o processo de aceitação da mesma. Como podes sentir-te bem se não te aceitas? Como podes estar satisfeito se negas a tua realidade? Como podes ser feliz se rejeitas as tuas vulnerabilidades ou as tuas forças?

Através da aceitação constante daquilo que és, o foco e o comprometimento são ingredientes essenciais para determinares os objetivos que te propões atingir para melhorares o nível de satisfação da tua vida.

Qualquer escolha que faças para te tornares mais feliz, irá trazer inicialmente algum nível de sacrifício, desconforto e frustração. Contudo, são os hábitos, a consistência e coerência com o teu propósito que fazem os resultados emergirem e o teu bem-estar aparecer.

Em resumo: se existe algum mal-estar, dilema ou conflito na tua vida e isso não te está a permitir manteres o teu bem estar, toma nota:

  • Partilha e consciencializa-te: se caíres no abatimento, tristeza ou revolta, acolhe esses sentimentos mas não permaneças muito tempo ai. Pede ajuda a alguém em quem confias (familiar, amigo) ou a um profissional e fala sobre o que sentes.
  • Aceita: existem momentos menos bons, existem perdas, existem mal-entendidos, existem injustiças, tudo isto faz parte da tua vida, e podem ser excelentes oportunidades para te transformares.
  • Foca-te e compromete-te: estabelece pequenos objetivos diários para ultrapassares esses momentos. Descobre o que funciona contigo e o que não funciona. Toma atenção às tuas necessidades internas, elas falam muito sobre ti. Sê disciplinado nos teus comportamentos e flexível com os imprevistos.
  • Avalia: não apenas os resultados mas o processo. Sentes-te bem? Tens tido os resultados pretendidos? Estás a criar um impacto positivo no teu dia-a-dia? Já te conheces melhor? Mediante as respostas reajusta as tuas escolhas.

Até breve,
Marisela Agra
Psicóloga Clínica


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder