A maior parte das pessoas (sejam crianças, jovens ou adultos) preocupam-se muito em desenvolver as suas habilidades técnicas, por exemplo: em como ter boas notas, ou na melhor maneira de gerir um orçamento familiar, mas chega a um momento em que há um pequeno lapso humano, seja na comunicação, na forma de interagir ou até mesmo em resolver possíveis problemas das tarefas diárias. Estudos demonstram que essa dificuldade pode ser ampliada em até 10 vezes, quando falamos de uma pessoa com algum tipo de Défice. Resultando muitas vezes na desmotivação da pessoa e do cuidador, baixa qualidade de vida e insatisfação dos técnicos que desenvolvem estas capacidades, após meses de trabalho árduo.

Competências Sociais x Competências Diárias

É importante ressalvar que as competências sociais não substituem as competências diárias, assim como o inverso também não acontece. Contudo ambas devem completar-se, tivemos, nos últimos anos um enorme crescimento da parte relativa às competências sociais, com integração em turmas inclusivas nas escolas, desenvolvimento de terapias para a interação com o mundo. Porém não tivemos a mesma velocidade no crescimento de Competências Diárias, Autónomas, e temos assim hoje um problema em que a maior parte dos desafios de uma pessoa com deficiência e do seu cuidador ou técnico, assentam na dificuldade em recriar um ambiente familiar, para o treino de competências básicas.

O Projeto “Pró-Vida”

É preciso, obviamente que a pessoa desperte mais interesse nesta área de desenvolvimento de “skills”, pois só a prática e vivência simulada do seu dia-a-dia podem ajudar a criar rotinas e autonomia. Contudo o Interesse não pode nem deve ser a única base deste trabalho pessoal. É necessário investimento, e o Prémio FIDELIDADE COMUNIDADE veio capacitar a APEXA, para que esta possa promover workshops, terapias e dinâmicas para auxiliar o desenvolvimento nesta área, de cuidadores, técnicos e pessoas com deficiência, tendo em conta o desenvolvimento dos seus aspectos humanos e de melhoria de qualidade de vida.

Tivemos oportunidade de conversar com Jorge Magalhães Correia, CEO na Fidelidade que transmitiu que

 Este Prémio materializa o compromisso com o desenvolvimento sustentável da sociedade através do fortalecimento do setor social privado. Vamos dedicar especial atenção ao desenvolvimento organizacional das entidades em áreas específicas, o que permite um melhor acompanhamento e obtenção de sinergias com o Grupo Fidelidade e seus parceiros. 

É intenção da APEXA e dos seus parceiros, fazer este projeto chegar longe, fazer ainda mais pela Inclusão e Autonomia de pessoas com deficiência. O Projeto já arrancou com a Fase 2, seguindo-se em breve as obras de qualificação de infraestruturas essenciais ao seu desenvolvimento. Em Setembro todos estarão convidados a conhecer o projeto e a participar na inauguração.

Lembramos que é importante trabalhar com foco nos resultados, e saber medir o nosso impacto, e o projeto Pró-Vida pretende atingir cerca de 50 pessoas já este ano. Mas não podemos esquecer claro quem apoia, quem transforma, e quem beneficiará do resultado gerado pelo projeto. “Um projeto da APEXA para Todos“ que vai saber como interagir com todos envolvidos num só propósito, e pretende saber formar e realizar dinâmicas terapêuticas de forma a estimular processo de desenvolvimento, resolver problemas, motivar a criatividade e a inovação de todos os beneficiários.