O Sono é um bem precioso para a saúde mental e física do ser humano em geral e de extrema importância para o desenvolvimento infantil e juvenil.

Sabia que dormir é essencial para a maturação do sistema nervoso? E para a regulação emocional? (Muitas birras infantis são provocadas pela necessidade que a criança tem em dormir). O sono é fundamental no processo de aprendizagem e no fortalecimento do sistema imunológico.

Neste sentido, o que as investigações nos têm demonstrado é que grande parte das nossas crianças e jovens não dormem o número de horas recomendadas e que uma privação prolongada do sono leva a dificuldades ao nível da atenção, memória, oscilações de humor, cansaço, irritabilidade, assim como, uma maior tendência para desenvolver perturbações psiquiátricas.

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP), o tempo recomendado para as crianças/jovens dormirem são:

1) Lactentes dos 4 aos 12 meses: 12 a 16 horas por 24 horas (incluindo sestas)

2) Crianças de 1 a 2 anos: 11 a 14 horas por 24 horas (incluindo sestas)

3) Crianças de 3 a 5 anos: 10 a 13 horas por 24 horas (incluindo sestas)

4) Crianças de 6 a 12 anos: 9 a 12 horas sono noturno por 24 horas

5) Adolescentes de 13 a 18 anos: 8 a 10 horas sono noturno por 24 horas

 

Para além da necessidade de uma boa noite de sono, é comum durante a infância aparecer ‘problemas do sono’, que estão directamente relacionadas com o desenvolvimento normal da criança ou como resultado de situações circunstanciais na vida da mesma.

Até por volta dos 2 anos a criança pode apresentar mais resistência em adormecer, chorar a meio da noite sem motivo aparente, dormir pouco ou apresentar muitas dificuldades em acordar. A partir dos 2 anos pode ser habitual a criança ter pesadelos, terrores nocturnos, insónias, medos de ‘bruxas e papões’. É importante perceber qual o momento de vida pela qual a criança está a passar e se existe algum factor stressante que possa estar a desencadear estes comportamentos (por exemplo: separação dos pais; nascimento de um irmão; entrada para a escola; mudança de casa;).

Habitualmente estes comportamentos são extintos naturalmente e fazem parte do desenvolvimento da criança. Contudo, se os comportamentos persistirem e começarem a ter um impacto negativo no bem-estar da criança/família, será necessário procurar um especialista (Pediatra ou Psicólogo) para auxiliar na superação destes problemas.

Uma das estratégias mais utilizadas e fundamentais para promover uma boa noite de sono em crianças e jovens passa pela ROTINA DO SONO. A Rotina do Sono não é nada mais do que proporcionar à criança uma série de condições físicas e emocionais para que esta se sinta calma e segura no momento de adormecer.

De seguida, deixo-vos algumas sugestões para boa Rotina do Sono:

  • A criança deve ter um quarto em que se sinta confortável. O espaço deve ser agradável e onde a criança passe algum tempo prazeroso, como por exemplo, a brincar (e não só para dormir).
  • A criança deve adormecer no mesmo local em que acorda transmitindo-lhe sentimento de segurança. Se a criança for habituada a adormecer sempre na sua cama será mais fácil para ela compreender que aquele é o espaço adequado para ela descansar.
  • O horário de deitar deverá ser sempre o mesmo. Isto vai permitir que a criança e o seu corpo se regulem de modo a sentirem a necessidade de descansar. Uma criança sem um horário pré-determinado para adormecer normalmente é uma criança que manifesta mais dificuldades no sono. Tenha sempre atenção para que a criança/jovem durma o número de horas recomendadas.
  • 30 minutos Antes da hora prevista para se deitar a criança deve ser avisada para que se organize internamente de que terá de terminar a tarefa que está a realizar para se ir deitar. Recomenda-se que neste momento, os pais comecem a diminuir a luminosidade da casa, o som da TV e a encaminharem a criança para o quarto.
  • Deite a criança na cama de forma serena, podem escolher uma história para lerem e/ou ela poderá escolher algum brinquedo para lhe fazer companhia. Esta fase é fundamental para que a criança se sinta segura e um momento único para trocarem afectos e caricias. Se a criança for muito pequena deixe uma luz de presença.
  • De manhã caso a criança não acorde naturalmente, acorde-a com mimos e converse com ela sobre as coisas boas que ela irá fazer nesse dia.

Esta e outras situações, podem ser resolvidas e apoiadas pela APEXA, através da da intervenção do Psicólogo Clínico: Perturbações de Ansiedade e de humor; Perturbações de desenvolvimento; Perturbações relacionadas com a atenção e o comportamento; Dificuldades de adaptação a novas mudanças

Marque já um Rastreio, sem compromissos. Contacte-nos:

 ip@apexa.org
 289 561 637
📱960 172 730

Categories: Saúde