Como podemos ajudar as crianças a expressar as suas emoções?

Por Sílvia Henriqueto em

Na semana passada, debatemos aqui a importância de falar sobre emoções com as nossas crianças. Hoje trago-vos algumas dicas/ estratégias para abordar emoções e para ajudar o seu filho a aprender e a expressar-se emocionalmente.

  • Não há emoções certas nem erradas

Não há emoções que são erradas, mesmo aquelas que não são muito bonitas de ver, como a raiva ou a tristeza. Todas as emoções são necessárias para um bom desenvolvimento emocional. Por isso, lembre-se que se o seu filho começar a chorar, não deve desvalorizar essa emoção e reprimi-la. Deve mostrar que compreende e substituir as frases “os rapazes não choram” ou “já passou, não chores” por frases como “sinto muito que estejas triste, isso também me deixaria triste a mim”.

  • Atrás de um comportamento, há uma emoção

As emoções mostram-se através do comportamento, por isso esteja atento à linguagem corporal da criança e ao seu comportamento para entender qual a emoção que está por trás.

  • Identifique as emoções

Nomear o que sentimos é o primeiro passo que vai ajudar as crianças a conseguir identificar o que sentem. É importante dar nome ao que sentimos.

  • Responda com empatia

Utilize os momentos do dia-a-dia para identificar as emoções do seu filho e mostrar que as compreende. “Vejo que sentes raiva porque hoje na escola o teu amigo levou o teu brinquedo para casa” ou “Estás triste porque querias continuar a jogar futebol com o pai e ele teve de sair” são pequenos exemplos de como pode validar as emoções do seu filho.

  • Identifique emoções nos outros

Desenhos animados ou livros ilustrados são ótimas formas de abordar as emoções e que ajudam as crianças a associar determinada expressão facial com a emoção. Na semana passada sugerimos a leitura do livro “O Monstro das Cores”, e hoje sugerimos a visualização do filme de animação “Inside Out – Divertida(mente)” onde são explanadas as emoções básicas (alegria, tristeza, raiva, nojo e medo) e as suas funções, através de uma menina de 11 anos de idade.

  • Seja um modelo

Mostre ao seu filho como se sente em relação a determinadas situações e como lida com essas emoções. “Lembras-te como ontem estava com tanta raiva porque o carro avariou?” pode ser o início de uma conversa sobre como lidar com a raiva, dando um exemplo pessoal. Falar sobre a tristeza, por exemplo, ajuda também a normalizá-la e vai permitir que o seu filho mostre abertamente a emoção.

A inteligência emocional é desenvolvida ao longo da vida. Ensine as crianças a identificar o que estão a sentir, porquê e como gerir essas emoções. Reconhecer, identificar, medir e regular sentimentos e emoções é algo fundamental para um bom desenvolvimento emocional! Deixamos aqui dois documentos como sugestão para começar a trabalhar as emoções.

  1. Documento para crianças mais novas

Sugerimos para crianças mais novas, a construção de um termómetro das emoções, pois vai ajudar não apenas a identificar o que sentem, mas também a medir e a gerir essas emoções.

Imprima aqui e aplique com as suas crianças.

  • Documento para crianças mais velhas

Para adolescentes e jovens, sugerimos uma identificação das emoções através das cores, onde cada dia pode ser colorido de acordo com a emoção mais sentida.

Imprima aqui e aplique com os seus jovens.

Se quiserem partilhar connosco a implementação destas atividades, não hesitem em contactar-nos.


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder