Atividades que estimulam a memória #4 Dominó

Por Cátia Évora em

O dominó estimula a concentração e o raciocínio lógico, permitindo desenvolver toda uma estratégia de jogo e, por isso, é ótimo para desenvolver habilidades que ajudam a prevenir a perda de memória. O objetivo passa por colocar todas as peças do seu jogo na mesa. Ganha quem for o primeiro a fazê-lo. Este jogo é muito usado quando se pensa em estratégias para estimular a memória, pois desperta a perceção visual e promove o convívio social.

O dominó tradicional pode ser jogado por dois, três ou quatro participantes. Tudo começa com as peças sendo baralhadas. Feito isso, cada jogador escolhe aleatoriamente sete peças, ficando as que restam em um monte. Quem tiver a peça com maior contagem total de pontos começa colocando essa peça no centro da mesa. Cada jogador, na sua vez, deve encaixar uma peça nas pontas do jogo. Quando o jogador não tem nenhuma peça que encaixe em um dos lados e não sobrou nenhuma para buscar, ele passa a vez, sem jogar.

A partida termina em duas circunstâncias: quando um jogador fica sem nenhuma peça, ou quando o jogo fica trancado, o que acontece quando não tem mais nenhuma peça que “caiba” no jogo, quando não existem mais peças com os números das pontas na mão dos participantes e ninguém mais consegue fazer uma jogada.

Abaixo segue alguns exemplos de jogos de dominó que foram desenvolvidas e adaptados para pessoas com deficiência:

1. Dominó das cores

Este jogo foi feito em madeira, tendo como medidas 4 cm de comprimento, 9 cm de largura e 1 cm de espessura. Cada peça possui duas cores. A pintura é feita com tinta lavável. Este jogo facilita a nomeação das cores, a discriminação visual e a correspondência um a um. As peças ampliadas permitem um melhor manuseio aos alunos com dificuldade de preensão (capacidade de pegar ou agarrar). O material pode ser higienizado devido à tinta lavável.

2. Dominó em Relevo

Este jogo também feito de madeira, tendo como medidas 9 cm de comprimento, 4 cm de largura e 0,5 cm de espessura. A identificação da quantidade é feita com feltro de qualquer cor, desde que permite um bom contraste visual. Este jogo melhora a discriminação visual da quantidade. A sua espessura é aumentada para as crianças que possuem preensão prejudicada (ato de segurar ou agarrar) possam manuseá-lo. A identificação da quantidade, em feltro, permite desenvolver a sensibilidade tátil-sinestésica.

3. Dominó de texturas

Este dominó permite o desenvolvimento da discriminação visual de padrões e discriminação tátil para as crianças que tenham alterações sensoriais e dificuldade para discriminar estímulos visuais. Pode ser utilizado para possibilitar a alfabetização, que exige a discriminação apurada de símbolos na forma gráfica. Este jogo pode ser feito com diferentes tecidos: lã, veludo, malha, brim e seda.

4. Dominó Temático

Este jogo pode ser construído com diversos temas ao seu interesse: animais, frutas, vestuário, meios de transporte, objetos, etc. Permite o desenvolvimento da discriminação visual e melhora a aquisição de novos conhecimentos. Este jogo pode ser feito através de madeira, colando as respetivas imagens sobre um determinado assunto.

Até Breve!

Cátia Évora | Educadora Social do Projeto FLAMINGO