As drogas na adolescência

Por Ana Revés em

De acordo com alguns estudos, a maioria dos consumos de droga começam na adolescência. Tal como já referido anteriormente, esta é a fase da curiosidade, do desejo de viver outras experiências, de testar limites e transgredir regras. Também o desejo de afirmação e a ausência de informação podem ser fatores determinantes para o desenvolvimento desta fase.

Existem formas diferentes de consumir drogas. Um consumo experimental não conduzirá necessariamente a uma dependência ou a um consumo recreativo, pois podem estar a fazê-lo apenas pela experiência. No entanto, poderá tornar-se esporádico ou habitual, estando por exemplo associado à diversão e à busca de prazer momentâneo.

Tal como outros comportamentos na adolescência, este consumo pode estar associado a uma fase do crescimento, vindo a ser naturalmente abandonado. No entanto, em certos casos pode persistir ao longo da vida com carácter meramente recreativo, existindo sempre a possibilidade de passar a ter um carácter de dependência. Por isso, é muito importante estar de alerta.

O risco deste desejo de consumo de drogas associa-se ao facto de este se poder tornar dependente e comprometer a realização de tarefas normais do seu desenvolvimento, o incumprimento dos papéis socialmente esperados, a não aquisição de habilidades essenciais e a não preparação para a transição da próxima fase: o adulto. Assim sendo, o termo “risco”, refere-se às ameaças que se encontram no desenvolvimento bem-sucedido do adolescente.

Dado isto, esteja atento a vários comportamentos que podem indicar o consumo por parte do adolescente:

– Mudança radical de interesse;
– Redução no rendimento escolar ou profissional;
– Atitudes agressivas;
– Mudança de ciclos de amizade;
– Sensação de perseguição:
– Paranoia;
Pedir mais dinheiro que o normal;
– Mudança de hábito alimentar;
– Dormir muito ou pouco;
– Pupilas dilatadas;
– Evita contacto visual;
– Mudança de aspeto e perda peso;
– Afastamento de familiares e amigos.

Se o seu filho nunca falou sobre drogas consigo, dificilmente assumirá o consumo. Mas, se o seu filho admitir o consumo, não deve reagir de forma exacerbada, pois a sua reação pode impedir o seu filho de falar mais consigo sobre o assunto.

Por isso, caso identifique alguns destes comportamentos:
– Não dramatize;
– Não ameace;
– Mostre que notou uma mudança no seu comportamento;
– Fale abertamente com o seu filho sem acusações ou culpas;
– Procure ajuda.