As crianças e os videojogos – benefícios ou prejuízos?

Por Sílvia Henriqueto em

Numa altura em que o período de confinamento obrigou as crianças e jovens a passarem mais tempo em casa, foi inevitável o aumento do número de horas passadas em frente a ecrãs, sejam eles de computador ou de consolas.

Existem inúmeros tipos de jogos: jogos de lógica, puzzles, quebra-cabeças, luta, armas, labirintos, plataformas, corridas, estratégia, ação, desporto, raciocínio, aventura… Mas afinal, os videojogos são sempre prejudiciais para as crianças ou também têm efeitos positivos?

Potenciais efeitos negativos dos videojogos:

  • Comportamentos agressivos – a exposição abusiva a jogos violentos pode aumentar o aparecimento de pensamentos, sentimentos e comportamentos agressivos a curto e a longo prazo.
  • Ansiedade – as crianças/jovens que optam por jogos mais violentos têm maior tendência para a ansiedade.
  • Mudanças de humor – o excesso de horas a jogar pode conduzir a mudanças de humor.
  • Fracas habilidades sociais – o excesso de jogos faz com que a criança/jovem dedique menos tempo a outras atividades, como interagir com a família e os amigos, o que pode condicionar as suas capacidades de se relacionar socialmente.
  • Fraco desempenho escolar – quanto mais tempo a criança/jovem gasta a jogar, mais fraco tende a ser o seu desempenho escolar.
  • Diminuição do sono e/ou má qualidade do sono – os distúrbios do sono podem ser provocados por várias causas, e uma delas é quando os videojogos são jogados antes de deitar.

Benefícios dos videojogos:

  • Promove a resolução de problemas
  • Estimula a concentração
  • Contribui para a aprendizagem
  • Promove a coordenação oculomotora
  • Estimula a criatividade
  • Inspira interesse em adquirir conhecimentos – os jogos podem incentivar a criança/jovem a querer saber mais sobre a história do mundo, culturas antigas, entre outras.
  • Promove a capacidade de multitasking e de antecipação – a maioria dos jogos exigem multitarefas, aumentando assim a capacidade de executar mais de uma tarefa em simultâneo. Além disto, a antecipação é outra das competências necessárias em muitos dos jogos.
  • Fortalece a confiança – quando as crianças/jovens conseguem ultrapassar as dificuldades num videojogo (por exemplo, completar um nível), permite que essa experiência de sucesso aumente a autoconfiança da criança.

Dicas para pais:

  • Pesquise quais são os jogos mais adequados à idade dos seus filhos;
  • Estabeleça limites para o tempo que os seus filhos passam a jogar. Aconselha-se um equilíbrio entre as horas passadas a jogar, as horas dedicadas ao exercício físico, e as horas de socialização;
  • Aprenda a mexer nos comandos e jogue com os seus filhos; uma atividade solitária pode transformar-se num momento de brincadeira em família.