APEXA, uma porta aberta para a Inovação Terapêutica

Por Nicole Palma em

No final do ano de 2019, a APEXA participou na REHACARE – International Trade Fair for Rehabilitation and Care, em Dusseldorf na Alemanha. A REHACARE é a principal feira internacional de reabilitação, prevenção, inclusão e assistência. A presença da APEXA nesta feira teve como objetivo duas razões essenciais: afirmar-se como instituição que procura a matéria de inovação e a abertura a tudo o que sejam metodologias e processos novos para melhorar o seu trabalho, e por outro lado, estabelecer contatos e parcerias com diversas empresas relacionadas com a área da Reabilitação.

A crescente massificação da tecnologia é reconhecida nas várias áreas, e a área da saúde não é exceção. O uso das tecnologias como recurso terapêutico é cada vez mais uma tendência no processo de reabilitação de pessoas com deficiência. E neste caso, a APEXA pretende reforçar também a utilização da tecnologia como uma aliada terapêutica. Ao posicionar-se como uma instituição que integra na sua reabilitação convencional, metodologias interativas e lúdicas que estão em sintonia com as motivações e interesses ocupacionais dos utentes.

Os sistemas inovadores, como a realidade virtual, softwares, playstations e outros hardwares tecnológicos, assumem-se como ferramentas complementares nas terapias. Não vão substituir ou modificar os objetivos terapêuticos, mas reforçar o alcance destes, através de uma maior oferta de equipamentos concebidos para esse fim. Assim, a APEXA vai equipar as suas salas de terapia com alguns desses equipamentos. O que vai permitir apoiar os terapeutas na sua prática clínica de uma forma mais personalizada, com monitorização dos resultados em tempo real.

Por exemplo, as tecnologias de realidade virtual oferecem uma plataforma que proporciona um ambiente seguro, passível de repetição e de diversificação de tarefas e que deste modo, promovem um maior envolvimento e participação dos utentes nas atividades. Com a capacidade de imersão num ambiente virtual e que torna as experiências potencialmente realistas. Estas metodologias potenciam o desenvolvimento de competências que podem ser generalizadas para o contexto real, por exemplo, simular situações da vida diária ou num contexto de integração social e profissional.

Existem ainda versões tecnológicas de materiais terapêuticos que já utilizamos, com um leque de funcionalidades mais alargado e que possibilita ajustar o tempo de execução, seleccionar o tipo de atividade e o controlo consoante as competências que se pretendem desenvolver. Assim é possível avaliar os resultados obtidos e aumentar o seu poder de intervenção.

A APEXA adquiriu alguns desses equipamentos na REHACARE e que serão apresentados assim que as circunstâncias o permitam.  Esta tecnologia vai melhorar a qualidade do serviço prestado a favor de uma abordagem terapêutica mais eficaz, inovadora e capaz de gerar mais oportunidades terapêuticas na região do Algarve e até do País.

Nicole da Palma|Terapeuta Ocupacional