A importância das experiências de leitura em crianças mais pequenas

Por Sílvia Henriqueto em

Se o seu filho é ainda pequeno e se pensa que é muito cedo para se preocupar com a leitura e a escrita, então está enganado. Mesmo em idades mais novas, as experiências de leitura são muito importantes para que quando os seus filhos tiverem 5/6 anos, consigam adquirir estas competências de um modo muito mais fácil.

Em primeiro lugar, é muito importante que tenha consciência de que é um modelo para os seus filhos. A sua criança vai começar a aprender a ler e a escrever através do envolvimento com o seu meio ambiente, por isso, todas as atividades conjuntas de pais e filhos que envolvam a leitura e a escrita são extremamente importantes.

De facto, quando os pais utilizam a linguagem escrita, quer para fins pessoais, quer quando envolvem os filhos nestas situações, facilitam o gosto por estas atividades e a compreensão do valor e da função da linguagem escrita.

Nós, adultos, enquanto pais, tios, educadores, permitimos que as nossas crianças aprendam as características da leitura e escrita, mesmo que inconscientemente! Por exemplo, ler um livro, ou o jornal diário à frente do nosso filho é muito importante, tal como termos os materiais de escrita (folhas, lápis, canetas) sempre disponíveis e à vista. A sua criança vai perceber, por um lado, que a leitura faz parte do nosso dia-a-dia e, por outro lado, vai aprendendo algumas características, como se pega no livro, como se viram as folhas, a variedade de letras e palavras, entre muitas outras coisas… Por isso, leia, e permite que o seu filho o veja a ler!

Sugestões de Atividades lúdicas de leitura e escrita, que podem ser feitas em família:

  • Levar os filhos à Biblioteca;
  • Leitura conjunta de revistas ou jornais;
  • Leitura conjunta de rótulos de embalagens, receitas de culinária, nomes de rua (isto permite e compreensão das situações em que a leitura e a escrita são utilizadas no dia-a-dia);
  • Escrita conjunta de recados, notas, listas de compras, cartas para amigos ou familiares, cartões de boas festas (os pais podem escrever e os filhos observam ou, ainda, podem estimular tentativas de escrita inventada por parte da criança);
  • Leitura de uma história e, no fim, encorajar a sua criança a fazer perguntas e a falar sobre a história que acabou de ouvir;
  • Realçar as coisas num livro que a criança possa associar com o seu dia-a-dia;
  • Brincar com as palavras, através de canções, lengalengas, adivinhas, rimas.

Qual o impacto da prática da Literacia Familiar?

A Literacia Familiar (o modo como pais, crianças e família utilizam a literacia em casa e na comunidade) é essencial para uma posterior aquisição mais facilitada da leitura e da escrita, uma vez que os pais servem como modelo. O sucesso futuro da aprendizagem da leitura e da escrita resulta do conhecimento precoce que a criança tem sobre a leitura e a escrita em que os adultos, apesar de não terem intenção deliberada de ensinar as crianças, já lhes possibilitaram ganhar conhecimentos sobre o tema.

Não é apenas o ato de ler, nem a frequência da leitura partilhada de histórias que são importantes nas práticas de literacia na família. A componente afetiva em que decorrem essas interações é igualmente importante para o desenvolvimento de sentimentos e atitudes em relação à leitura e à sua funcionalidade.

Assim sendo, as atividades conjuntas de literacia familiar contribuem, ainda, para impactos positivos no desenvolvimento da linguagem, nomeadamente ao nível do vocabulário, do conhecimento do alfabeto e da consciência de regras gramaticais.

“Ler é sempre uma forma de viajar, quer o mediador da viagem seja um livro, uma revista, o ecrã de um computador ou de um telemóvel. O passaporte exigido para essa viagem chama-se aprender a ler.” (Sim-Sim, 2009)


0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder