As famosas “Aranhas”, como conhecidas, aparentam ser inofensivas, todavia apresentam bastantes complicações.

As Aranhas são objetos desaconselhados e desnecessários, pois podem levar ao atraso do desenvolvimento motor da criança/do bebé e consequentemente ao atraso intelectual.

Cada criança/cada bebé tem o seu próprio ritmo de desenvolvimento, ou seja, se alterarmos esse ritmo e quisermos asselara-lo, mais do que é suposto, não é nada benéfico para a criança/bebé.

Como? Pergunta…. Iremos agora explicar:

Colocar a criança, ou o bebé na Aranha ainda antes de esta ser capaz de permanecer em pé sozinha, pode levar a um atraso ao nível da sua marcha até mais de 1 mês do esperado.

  • Faz a criança, ou o bebé andar mais tarde.

Pode provocar lesões articulares dos Membros Inferiores das crianças/bebés, fato este que é derivado aos músculos ainda não estarem preparados para exercer tal força, ou seja, não se encontrarem devidamente fortalecidos , e por isso mesmo, as articulações podem ceder e ficar mais instáveis, aumentando o risco de lesões.

  • Provoca lesões nas Articulações e no sistema Músculo-Esquelético da criança.

A criança/o bebé na Aranha acaba por adotar uma postura inadequada, que levará a problemas futuros, e a uma pisada/pegada bastante errada, podendo, desta forma, no futuro, levar a más posturas, problemas ao nível da coluna, mais especificamente e frequentemente, a Escolioses, e ainda poderá levar a problemas aquando iniciar a verdadeira marcha (ao caminhar).

Aliás, quanto mais tempo a criança/bebé permanecer na Aranha, menos gatinha, tal acontecimento, que é fulcral para um bom desenvolvimento motor da criança/bebé. O gatinhar, o sentar e o levantar constante é fundamental para um ótimo desenvolvimento da força de todo o corpo, um ótimo desenvolvimento de estratégias de equilíbrio, entre muitos outros, de forma que esta/este consiga caminhar e andar de uma forma mais autónoma possível.

  • Leva a uma má pisada/pegada, uma má colocação dos pés no chão aquando a marcha.

Aumenta o risco de quedas, podendo mesmo provocar fraturas ou mesmo TCE (Traumatismos Crânio- Encefálicos).

  • O bebé pode magoar-se gravemente.

A criança/ o bebé que fica “preso” à Aranha não consegue ter tanta oportunidade de explorar, tanto o Ambiente que o rodeia, como os objetos/brinquedos que se encontram no chão. Desta forma, é de notar que a criança/ o bebé possui menos oportunidades de se interessar pelos brinquedos que o rodeiam e menos oportunidade de lhes tocar e mexer, o que poderá levar a problemas futuros, relativamente a questões sensitivas, podendo também tornar a criança/ o bebé mais inseguro, não possuindo confiança em si e no seu corpo.

  • Leva a uma diminuição de Estimulação (que é tão fundamental para as crianças ou bebés).

Por todos estes pontos descritos acima, a Aranha não é recomendada de todo.

Por norma, o bebé começa a dar os primeiros passos a partir dos 9 meses e já consegue andar por volta dos 15 meses, todavia para acelerar este processo os pais/educadores/cuidadores podem utilizar algumas estratégias, tais como:

  • Deixar a criança/bebé andar descalço;
  • Caminhar com a criança/bebé segurando-o pelas mãos;
  • Chamar pela criança/bebé, a alguns metros de distância (2 passos por exemplo), mostrando-lhe o brinquedo favorito, de forma a incentivar a marcha, o andar;

ATENÇÃO : A criança/bebé deverá conseguir percorrer a distância completa, de forma a motivá-lo cada vez mais;

Durante todo este processo deverá ser transmitida Segurança, Calma e Tranquilidade à criança/bebé, para que desta forma ele consiga explorar e se sinta seguro e confiante para conseguir andar.

SUGESTÃO: Em vez da tradicional Aranha poderá utilizar o Andarilho Infantil.